Geração Distribuída: o que é e as principais vantagens.


Geração Distribuída é uma expressão dada à energia elétrica gerada no próprio local de consumo ou próximo a ele, de maneira descentralizada.


A partir da GD é possível gastar menos com transmissão de energia, tornando esta, uma ótima solução para os grandes centros de consumo através de pequenas fontes locais.


Continue com a leitura para entender melhor como funciona a Geração Distribuída e conheça suas principais vantagens!


O que é Geração Distribuída?


Tecnicamente falando, Geração Distribuída é uma expressão utilizada para caracterizar uma modalidade de geração de energia elétrica que mantém os geradores próximos aos consumidores.


Independentemente da potência, fonte de energia ou tecnologia, a GD funciona junto ou próxima aos seus consumidores, abastecendo indústrias, comércios e residências, que podem utilizar uma microgeração < = 75 KW ou uma minigeração > 75 KW até 5 MW.


Quais são as fontes permitidas para utilização de Geração Distribuída?


É possível utilizar através da GD, energia eólica, solar, de pequenas centrais hidrelétricas e de biomassa.


Um exemplo prático e bastante comum são as placas solares, também conhecidas como módulos fotovoltaicos, que geram energia elétrica, correspondendo a micro e mini usinas.


Dessa forma, paralelamente, os geradores operam com a rede elétrica tradicional e também com os Geradores Distribuídos, oferecendo energia suficiente ao cliente.


Como é o funcionamento da Geração Distribuída no Brasil?


A regulamentação da GD ocorreu a partir da RN 482 de 2012, que passou a permitir que pessoas jurídicas e pessoas físicas gerassem sua própria energia elétrica a partir de uma conexão com uma rede elétrica de baixa tensão de maneira simplificada.


As únicas e principais exigências consistem em obrigar a presença de um profissional (Técnico ou Engenheiro) em cada projeto e que todos sejam homologados nos órgãos responsáveis, ou seja, nas concessionárias de distribuição de energia.


Ainda é possível observar melhora gradativa na GD, que passa por constantes modificações em sua regulamentação para melhor atender a todos que a utilizam.


Como última modificação, podemos citar a Lei 14300/22, que institui o marco legal da micro e minigeração de energia. Essas modalidades permitem a consumidores produzirem a própria energia que utilizam a partir de fontes renováveis.


Estas regulamentações nascem para compreender ao máximo o autoconsumo, evoluindo para a geração na mesma região das distribuidoras com o intuito de atender clientes de um mesmo conglomerado econômico.


A partir daí, dentro dos limites, seja de microgeração ou minigeração, ocorre a evolução para o conceito de consórcios / associativismo, como é o caso da Egronn.


Quais são as principais vantagens da GD?


Com a falta de investimentos no setor elétrico com grandes usinas, a GD se tornou a solução para cobrir o desinteresse em apostar em infraestrutura de geração elétrica, seja hidráulica ou de outras fontes, como energia térmica e a gás.


O crescimento da Geração Distribuída no Brasil tem sido crescente e constante, por se tratar também de uma fonte renovável e complementar às outras fontes.


E, entre os outros muitos benefícios da GD, podemos citar:


  • Investimentos ampliados: Com investimento realizado via capital próprio, a GD se torna uma grande incentivadora da produção de energia própria de pessoas e empresas. Dessa forma, ela auxilia na redução de investimento por parte do governo, de longos e burocráticos leilões que teriam como foco, a construção de novas usinas.

  • Perdas reduzidas: Reduzindo a necessidade de transporte de energia por longas distâncias, a energia produzida em local próximo auxilia na diminuição das perdas.

  • Empregos gerados em maior quantidade: A GD favorece a geração de empregos locais, movimenta a economia durante todas as etapas do processo.

  • Redução dos impactos ambientais: Por se tratar de uma energia limpa, a GD auxilia no processo de minimização dos impactos sobre a natureza.


Se você ainda está em dúvida se vale a pena ou investir em Geração Distribuída, considere colocar todos os benefícios da alternativa na balança.


Além de toda a economia financeira, você ainda terá independência, redução de custos, possibilidade de renda, caso deseje se tornar um gerador, e ainda ajuda o planeta!


12 visualizações0 comentário